Presidente da ABES-Rio conversa sobre saneamento com a Rádio Roquette
 
 
 
 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
11/10/2022 - / Por
 

 

O presidente da ABES-Rio, Miguel Fernández y Fernández, concedeu entrevista para o Podcast Fala Jovem do apresentador Pedro Rafael sobre temas relacionados ao saneamento no Rio de Janeiro. Durante o bate papo, Miguel falou sobre a função da ABES-Rio, a importância da valorização dos nossos rios, investimento no saneamento básico, a história da CEDAE e como ficou a operação com a venda da companhia. 

Ao ser questionado sobre os movimentos de despoluição da Baía de Guanabara, o presidente da ABES-Rio explicou algumas medidas que podem ser tomadas para que esse objetivo seja alcançado.

"A gente criou esse evento, o SANEA RIO, com um propósito que foi reunir todas essas concessionárias de saneamento e todos os atores correlatos. Então Ministério Público, órgãos de financiamento, BNDES, Caixa Econômica, áreas de pesquisa como as universidades, empresas nacionais e agências reguladoras, trouxemos todo mundo para sentar e discutir as principais estratégias previstas inclusive no edital. O edital prevê um investimento pesado no que é chamado de Coletor Tempo Seco, muito esgoto vai parar na rede de drenagem das águas de chuva e isso não deveria estar lá, são tubulações separadas na concepção originária, que chamamos de sistema separador absoluto aqui no Rio de Janeiro. Esse esgoto que vai parar na galeria de drenagem, ele não é tratado, vai chegar na Baía de Guanabara ou em uma lagoa sem tratamento, esse é um problema muito grave. Essa captação de tempo seco é fazer interceptores, quando não está chovendo, e desviar a vazão que tem ali, teoricamente é esgoto e tratar", comentou.

A entrevista completa está disponível no Youtube da ABES-Rio: https://youtu.be/C2Nxnzr3c8Y

 

 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
 
 
 
Últimas Notícias

29/08/2022
Efeitos erosivos decorrentes da navegação no Canal de Marapendi (Barra da Tijuca – Rio de Janeiro)

24/01/2023

ABES-Rio conversa com a Comlurb sobre planos para resíduos sólidos

23/01/2023

Diretoria da ABES-Rio define prioridades e estratégias em reunião de planejamento para 2023

16/01/2023

InovaRio Podcast debate Marketing esportivo e comunicação empresarial com Guilherme Neto

.
    Saiba mais >>
.
.
    Saiba mais >>
.
.
    Saiba mais >>
.
.
    Saiba mais >>
.
 
Av. Beira Mar, 216 - Sala 1103
CEP 20021-060 / Centro - Rio de Janeiro / RJ


abes-rj@abes-dn.org.br


(21) 98691-2615 (WhatsApp)